sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Dewey - The small-town library cat who touched the world - Vicki Myron

Sinopse

How much of an impact can an animal have? How many lives can one cat touch? How is it possible for an abandoned kitten to transform a small library, save a classic American town, and eventually become famous around the world? You can't even begin to answer those questions until you hear the charming story of Dewey Readmore Books, the beloved library cat of Spencer, Iowa.

Dewey's story starts in the worst possible way. Only a few weeks old, on the coldest night of the year, he was stuffed into the returned book slot at the Spencer Public Library. He was found the next morning by library director Vicki Myron, a single mother who had survived the loss of her family farm, a breast cancer scare, and an alcoholic husband. Dewey won her heart, and the hearts of the staff, by pulling himself up and hobbling on frostbitten feet to nudge each of them in a gesture of thanks and love. For the next nineteen years, he never stopped charming the people of Spencer with his enthusiasm, warmth, humility (for a cat), and, above all, his sixth sense about who needed him most.

As his fame grew from town to town, then state to state, and finally, amazingly, worldwide, Dewey became more than just a friend; he became a source of pride for an extraordinary Heartland farming town pulling its way slowly back from the greatest crisis in its long history.


A minha opinião


Adoro animais e sempre convivi com gatos. No ano passado li o livro Marley & Eu, de John Grogan, e gostei imenso, pese embora o final triste.
Quando peguei em Dewey esperava algo do género, mas não foi bem isso que encontrei.
Foi interessantíssimo perceber como um gato foi parar a uma biblioteca (outro espaço que eu adoro!) e a forma como interagia com os funcionários e os visitantes do local.
Contudo, a autora perdia-se muitas vezes na história de Spencer, a localidade onde está sediada a biblioteca, e sobre a sua própria vida pessoal, o que, devido à frequência e demasiada importância dada, se tornava maçador para mim, que, como leitora, apenas queria saber das vivências e manias de Dewey.
Estive para pôr o livro de lado várias vezes, mas a sede de saber mais sobre o gato levou-me, com custo, a lê-lo até ao fim. Contudo, confesso que saltei as partes mais chatas, que, quanto a mim, não acrescentavam nada de útil à história que eu queria acompanhar.
Dewey não está definitivamente è altura de Marley & Eu, que, além de ser bem mais interessante, tem muitos apontamentos de humor.
Na minha opinião, só mesmo quem goste muito de gatos é que poderá, eventualmente, gostar deste livro, pela ternura que o protagonista transmite. E, mesmo assim, não me parece que esses leitores venham a adorar o livro.

Existe um site dedicado ao Dewey: http://www.deweyreadmorebooks.com/

(Na foto: Dewey com Vicki Myron)

2 comentários:

Elphaba J. disse...

Este é o tipo de histórias que me fascina pois sou uma amante de gatos (tenho dois!), mas que se for ler sei que vou chorar e muitas vezes opto por não ler.

Este livro, por acaso, tenho-o pois foi me oferecido mas ainda não o li e depois da tua opinião não me parece que algum dia acabe por faze-lo. =/

Elsa disse...

Sou amante de gatos e de livros (também gosto de todos os outros animais) e li este livro, com a mesma expectativa - de que fosse no mesmo sentido de Marley & Eu. Partilho da mesma opinião. Quando li o livro Marley & Eu chorei e ri, passei pelas páginas com uma avidez tal que acabou num instante. No Dewey estava à espera de histórias mirabolantes que o gato fosse protagonizar, mas não. O protagonista principal não foi bem o gato. Eu conheço os gatos e sei que são capazes de tropelias que davam um livro entusiasmante. Não foi o caso.

Related Posts with Thumbnails